O Aconselhamento na Igreja em Células

Acredita-se geralmente que o aconselhamento consiste simplesmente em dar conselho ou dizer o que as pessoas devem fazer em uma determinada situação.

Na verdade, o verdadeiro aconselhamento envolve acompanhar uma pessoa no processo de descoberta de alternativas positivas e criativas para os problemas. O verdadeiro aconselhamento envolve ajudar pessoas a mudar pensamentos, sentimentos, atitudes e comportamentos que são prejudiciais a ela e ao seu ambiente.

O apoio de aconselhamento é um processo que deve acontecer em uma atmosfera de empatia, confiança, aconchego e conhecimento (ou seja, em um lugar seguro).

Creio firmemente que uma das principais tarefas da igreja é oferecer um lugar seguro para pessoas feridas. Um papel igualmente importante é o de acompanhar pessoas em tempos de dificuldade e necessidade emocional. Um dos melhores lugares para fazer isso é o contexto da célula, onde a vida do corpo é manifesta por meio do cuidado de uns aos outros.

Na verdade, o apóstolo Paulo disse: “Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram” (Rm 12.15).

Aparentemente, a igreja de Roma cumpria sua tarefa de aconselhamento, porque mais tarde o apóstolo disse: “Meus irmãos, estou certo de que vocês estão cheios de bondade, sabem tudo o que é preciso saber e são capazes de dar conselhos uns aos outros” (Rm 15.14).

A palavra grega para conselho é “paraklesis” (que significa suspiro, súplica), que vem do verbo “parakaleo” (chamar alguém da porta ao lado), que é traduzido por “orar”, “implorar”, “advertir” e “consolar” (Rm 12.8). Creio que a verdadeira tarefa de aconselhamento é um exercício corporativo, o que significa que um grupo deve ser envolvido na edificação de uns aos outros, dando coragem aos tímidos, ajudando os fracos na fé e tendo paciência com todos (1 Ts 5.11,14). Todos nós somos responsáveis para restaurar o espírito de submissão dos que caíram em pecado, para carregar os fardos uns dos outros e a fazer o bem a todos, tanto os da igreja como os de fora (Gl 6.1; 2.10). Devemos ser misericordiosos, humildes, submissos, pacientes e perdoar uns aos outros (Cl 3.12-14).

Para que essa tarefa seja eficaz, não podemos esquecer que o objetivo do aconselhamento cristão é que a pessoa seja realmente liberta, alcance a maturidade e seja completamente capacitada para toda boa obra. Portanto, é importante que o pastor e o líder de célula sejam treinados e emocionalmente saudáveis. Se o líder é emocionalmente doente, ele ou ela transmitirá a doença a outros…

Quando temos clareza a respeito dessas coisas, o aconselhamento na igreja em células pode se tornar uma ferramenta eficaz para alcançar outras pessoas para Cristo, para consolidar aquelas que encontraram Jesus e preparar todos a serem ministros eficazes para Jesus.

Pr. David Jaramillo
Pastor titular da Igreja da Família
Quito, Equador

By | 2016-10-23T18:56:07+00:00 outubro 23rd, 2016|Categories: Aconselhamento, Célula, David Jaramillo|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment