Denominação e Doutrina 2016-10-24T19:41:43+00:00

Denominação e Doutrina

Denominação

O termo “Evangelho Quadrangular” foi inspirado pela fundadora da igreja, Aimée Semple McPherson, durante uma campanha evangelística em Oakland, Califórnia, em 1922. “Evangelho Quadrangular” representa o que é igualmente equilibrado por todos os lados, estabelecido e resistente. Tal confiança no poder do evangelho é expressa em Hebreus 13:8, o que é apresentado nas igrejas quadrangulares como “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e será eternamente”.

O termo ainda representa os quatro pilares do ministério de Jesus na Terra:

O Salvador

“Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele; e pelas Suas pisaduras, fomos sarados” (Tito, 2:14; Isaías, 55:7; Hebreus, 7:25).

O Médico dos médicos

“Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou as nossas doenças”, Mateus, 8:17 (Marcos, 16:17,18; Mateus, 9:5,6; Atos, 4:29,30).

O Batizador com o Espírito Santo

“Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias… Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra”, Atos, 1:5,8 (João, 14:16,17; Atos, 2:4; 8:17; 10:44-46; 1 Cor., 3:16).

O Rei que há de vir

“Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro… Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e, assim, estaremos sempre com o Senhor”, 1º Tessalonicenses, 4:16,17 (Tito, 2:12,13; Mateus, 24:36-44, Hebreus, 9:28; Lucas, 19:13; 12:35-37).

Símbolos

Cruz: simboliza a morte de Cristo em sacrifício pela nossa salvação.

Cálice: simboliza a cura divina.

Pomba: simboliza o batismo com o Espírito Santo.

Coroa: simboliza a volta de Cristo para reinar eternamente.

Cores

Vermelha: significa o sangue de Jesus Cristo, que foi derramado na cruz para salvar os filhos de Deus.

Amarela: significa o batismo com o Espírito Santo.

Azul: significa a cura divina.

Roxa: significa a volta de Jesus como Rei.

Rostos

Rosto de homem: representa Jesus Cristo, filho do homem, como o Salvador que foi sacrificado por toda a humanidade.

Rosto de leão: representa Jesus Cristo como o Batizador com o Espírito Santo. A figura significa força e poder.

Rosto de boi: representa Jesus Cristo como aquele que suporta cargas e fardos, e que veio à terra para levar sobre si toda a carga de pecados, vergonhas e doenças humanas.

Rosto de águia: representa Jesus Cristo como o Rei que há de vir, assim como a águia é reconhecida como a rainha das aves.

Evangelhos do Novo Testamento

Lucas

Este livro foi escrito para os gregos, povo cujo ideal era alcançar a perfeição humana. Por isso, Lucas apresenta Jesus como filho do homem, homem perfeito de corpo, alma e espírito, que veio para buscar o que se havia perdido.

Marcos

Livro escrito para os romanos, povo patriota que se orgulhava do próprio poderio militar e de servir aos seus superiores. Assim, Marcos apresenta Jesus como servo diante de Deus para tomar sobre si as nossas dores.

João

O livro foi escrito para todos os cristãos e apresenta Jesus como o filho do Deus Altíssimo, como o único que pode batizar com o Espírito Santo.

Mateus

Livro escrito para os hebreus, que esperavam pela volta do Messias para reinar eternamente. Por esse motivo, Mateus apresenta Jesus como o Rei que há de vir para buscar a Sua igreja.

Doutrina

A doutrina básica da Igreja do Evangelho Quadrangular foi esboçada por sua fundadora, Aimée Semple McPherson. Nela, constam os valores da denominação que pautam suas ações, projetos e missões.

Escrituras Sagradas

A Igreja acredita que a Bíblia é a Palavra inspirada por Deus: verdadeiro, imutável, constante e eternamente Deus (2º Timóteo, 3:16,17).

Deus eterno

A Quadrangular acredita que Deus é trino: Pai, Filho e Espírito Santo; os três são coexistentes, eternos e iguais na perfeição divina (1º João, 5:7).

A queda do homem

Para a Igreja, o homem, criado à imagem e semelhança de Deus, caiu no pecado e na iniquidade por desobediência voluntária. Isso fez pesar sobre a humanidade a herança desse pecado e suas consequências (Gêneses, 1:27; Romanos, 5:12).

O plano da salvação

A Igreja acredita que, mesmo sendo pecadores, Jesus Cristo morreu e se sacrificou pela humanidade, tomou seu lugar e com o Seu sangue comprou o perdão para todos aqueles que n’Ele creem (João, 3:16; Tito, 2:14).

A salvação pela graça

Para a Quadrangular, a salvação é completa e concedida apenas pela graça, pois receber o amor e o favor de Deus não depende de retidão ou mérito humano algum (Efésios, 2:8).

Arrependimento e aceitação

Arrepender-se verdadeiramente e aceitar a Jesus de forma sincera, torna o homem justificados diante de Deus, por meio do sacrifício de Cristo (Romanos, 10:6-10; 1º João, 1:9).

O novo nascimento

Para a Igreja, a mudança de vida após a conversão é real e notória, e ter recebido a Cristo e o Seu Espírito trará retidão, novos anseios, novos interesses e também novas perseguições na vida (2º Coríntios, 5:17; Gálatas, 2:20).

Vida cristã

Para a Quadrangular, é da vontade de Deus que aqueles que nasceram de novo cresçam em santificação, compartilhem da Sua santidade e diariamente estejam mais fortes na fé, no poder, na oração, no amor e no serviço (2º Coríntios, 7:1).

O batismo nas águas e a ceia do Senhor

A Igreja acredita que o batismo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo é a resposta essencial ao mandamento de Jesus, respeitando a Sua autoridade como Cristo e como Rei (Romanos, 6:4). Acredita também na observação da Ceia do Senhor, pela qual o cristão recebe o pão e o fruto da videira com alegria e fé, a fim de compartilhar constantemente da vida e do triunfo de Cristo sobre a cruz (1º Coríntios, 11:24-26).

O batismo com o Espírito Santo

Para a Quadrangular, o batismo com o Espírito Santo dá autoridade aos cristãos para exaltarem Jesus, para viverem uma vida de santidade e para serem testemunhas da salvação pela graça de Deus; Crê ainda hoje a atuação do Espírito Santo ocorre da mesma maneira que ocorria sobre os cristãos da igreja primitiva (Atos, 1:5,8; 2:4).

Uma vida cheia do Espírito

A Igreja acredita que é da vontade de Deus que os cristãos andem em Espírito constantemente, servindo ao Senhor e vivendo uma vida de paciência, amor, verdade, sinceridade e de oração (Efésios, 4:30-32; Gálatas, 5:16,25).

Dons e frutos do Espírito

Para a Quadrangular, o Espírito Santo distribui dons de ministérios sobre os cristãos e que estes dons enriquecem o corpo de Cristo com edificação e evangelismo (1º Coríntios, 12:1-11). Porém, para ter uma vida cheia do Espírito, o cristão deve praticar os “frutos do Espírito”: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança (Gálatas, 5:22-25).

Moderação

A Igreja crê que a moderação dos cristãos deve ser óbvia a outros e que o relacionamento com Jesus nunca deve conduzir as pessoas a fanatismos extremos. Suas vidas devem ter como modelo a vida de Cristo em retidão, equilíbrio, humildade, e em sacrifício próprio (Colossenses, 3:12,13; Filipenses, 4:5).

Cura divina

A Quadrangular acredita que a cura divina é a manifestação do poder de Jesus em curar doentes como uma resposta de oração e de fé; Ele, como um Deus imutável, ainda hoje tem o poder de curar o corpo, a alma e o espírito pela fé do cristão (Marcos, 16:17,18; Tiago, 5:14-16).

A segunda vinda de Cristo

A Igreja crê que a segunda vinda de Cristo é real, pessoal e iminente. A certeza da Sua vinda e o fato de que ninguém sabe o dia ou a hora do Seu retorno são os fatores que justificam os esforços de evangelização em massa. Que o Senhor, em pessoa, descerá do céu, os mortos em Cristo se levantarão e os remidos serão elevados para encontrar o Senhor nas nuvens (Mateus, 24:36,42,44; 1º Tessalonicenses, 4:16,17).

Comunhão na igreja

A Igreja acredita que tornar-se parte de uma congregação de cristãos é um dever sagrado, por meio do qual é possível adorar a Deus em unidade e comunhão, observar as ordens de Cristo, apoiar uns aos outros, colaborar com a salvação de outros e trabalhar para promover o avanço do reino de Deus (Atos, 16:5; Hebreus, 10:24).

A autoridade civil

Para a Igreja, a autoridade civil é composta por homens nomeados pela vontade de Deus e que os direitos civis devem ser respeitados em todas as suas formas, exceto naquilo que, eventualmente, contrariar os preceitos de Deus descritos na Bíblia Sagrada (Atos, 4:18-20; Romanos, 13:1-5).

O dia do juízo

A Igreja acredita que, um dia, todos os homens que existiram, existem ou venham a existir estarão diante do trono de Cristo para o juízo final. Aos remidos, será dada a vida eterna e aos não arrependidos, a punição eterna (Apocalipse, 20:11,12; 2º Coríntios, 5:10).

Céu

A Igreja acredita que o Céu é a gloriosa habitação de Deus e o lar eterno dos cristãos renascidos (João, 14:2; Apocalipse, 7:15-17).

Inferno

Para a Igreja, o inferno é um lugar de trevas, da mais profunda amargura, do fogo que não se apaga, lugar que não foi originalmente preparado para o homem. Contudo, deverá ser transformado no lugar que separará o eterno Deus de todo aquele que rejeita a Cristo como Salvador (Mateus, 13:41,42; Apocalipse, 10:10,15).

Evangelismo

Para a Igreja, “ganhar almas” é o grande alvo na Terra, e que todo obstáculo à evangelização mundial deve ser removido (Tiago, 5:20; Marcos, 16:15).

Dízimos e ofertas

A Igreja acredita que os dízimos e as ofertas são ordens de Deus para a sustentação do Seu ministério, disseminação do Evangelho e liberação de bênçãos específicas (Malaquias, 3:10; 1 Coríntios, 16:1,2).

Via: portal4br.com.br